Estudos comprovam que o Ceará tem o melhor índice solar do Brasil e do mundo, principalmente no sertão. E é por isso que a produção de energia solar vem ganhando cada vez mais destaque no Estado.

As informações são de acordo com o Índice Comerc Solar, feito pela Comerc Energia, que mostrou que as capitais Belém (PA), Fortaleza (Ceará) e Rio de Janeiro (RJ) são as três melhores do Brasil para produzir energia solar.

Ceará: potencial para explorar e investir em energia solar

O Ceará tem a seu favor o alto índice de radiação solar que chega, em média, a 5,5 kWh/m² por dia. Porém, apenas boa incidência solar não é suficiente para que os sistemas de geração de energia fotovoltaicos sejam eficientes financeiramente.

Para que haja projetos e que seja também um atrativo aos consumidores é preciso que se tenha incentivos governamentais, com redução nos impostos sobre o setor. Sem contar que o Estado está entre as capitais que concede isenção de ICMS para Geração Solar Fotovoltaica aos consumidores.

Isso coloca o Ceará em um excelente patamar, tanto para as empresas quanto para os consumidores. Até porque o ICMS sobre a energia injetada melhora em até 30% o retorno financeiro do investimento na geração solar fotovoltaica, sendo importantíssima para o desenvolvimento do mercado.

Fora isso, o Estado se aproveita dos altos índices de solares nessa região que é 90% superior à radiação solar da Alemanha, que é o país que mais investe em produção fotovoltaica, isso coloca o Ceará a frente quando se fala de energia solar.

Consumidor do Ceará não perca essa oportunidade

Com estes dados, o consumidor do Estado do Ceará pode se valer dessa situação e aproveitar para saber sobre a possibilidade de instalar um sistema fotovoltaico em sua residência.

E se considera o valor ainda alto, pode contar com ajuda dos bancos, que tem linhas de financiamento voltadas especialmente para este segmento.

Justamente por isso muitos empresários estão investindo em fontes renováveis no Ceará. Claro que se comparada a energia eólica, que já está mais consolidada, os projetos neste ramo ainda estão se desenvolvendo. Mas a procura e interesse tem aumento consideravelmente nos últimos anos.

O Estado do Ceará foi pioneiro no país tanto no setor da energia eólica (Mucuripe em 2002), quanto o da solar (Tauá em 2011). E a geração de energia solar vem ganhando cada vez mais espaço na cadeia produtiva.

Perspectivas para o próximo ano são boas

Em decorrência do aumento da conta de luz do consumidor, e pela insatisfação, principalmente por pagar caro e não ter qualidade, é que nos próximos anos tenha um aumento considerável de clientes optando pela energia solar.

E no Estado de Ceará as condições se apresentam totalmente favoráveis, e neste sentido, tanto pessoas físicas quanto empresários não podem perder a oportunidade de gerar a sua própria energia.

Mesmo com tanto potencial a seu favor, já em relação aos recursos instalados, o Estado perde para Minas Gerais que lidera o ranking nacional, com 22,9% seguido pelo Rio Grande do Sul (14,5%), São Paulo (12,9%), Santa Catarina (6,22%) e depois Ceará (5,84%).

Investimentos no futuro

Ainda de acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), até 2024, cerca de 1,2 milhão de geradores de energia solar ou mais deverão ser instalados em casas e empresas em todo o Brasil. Até porque o país possui um grande potencial para movimentar este segmento.

 Isso deverá representar cerca de 15% da matriz energética brasileira e até o ano 2030 o mercado de energia fotovoltaica deverá movimentar cerca de R$ 100 bilhões em território nacional. No Brasil, a quantidade de unidades consumidoras que passou a produzir sua própria energia aumentou de 21,2 mil, em dezembro de 2017, para 55,3 mil, no mês de setembro.

Para se ter uma ideia, a multinacional austríaca Fronius, líder no setor fotovoltaico, vendeu mais de 500 mil unidades de inversores ao redor do mundo no ano passado. Entre os meses de 2015 e 2016, a Fronius obteve um crescimento de 160% com a venda de inversores.

No Brasil foram mais de nove mil equipamentos desse tipo, fazendo com que a empresa tenha obtido um crescimento de mais de 50% em território nacional. E as perspectivas são animadoras.

A projeção da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), era atingir em 2018 a potência instalada de 300 MW em geração distribuída. E em julho essa meta foi atingida, ou seja, energia distribuída solar fotovoltaica em residências, comércios, indústrias, produtores rurais e prédios públicos.

Ressaltamos aiinda que há muitas vantagens em optar pela energia solar. Enumeramos algumas: 

  • A energia solar é renovável. Isso quer dizer que o calor do sol ainda permanecerá ativo durante alguns bilhões de ano; 
  • É uma forma limpa de produzir energia; 
  • Não são necessárias grandes áreas ou desmatamento para a sua instalação; 
  • Baixa necessidade de manutenção; 

E você sabia que o Brasil usa mais de 6% da eletricidade que gera para aquecer água em residência? Em nenhum outro país o emprego de chuveiros elétricos é tão disseminado como no Brasil. Fora que os chuveiros elétricos representam um enorme problema econômico e ambiental.

Concluindo

Claro que ainda estamos longe de sermos exemplos. Ainda caminhamos em passos lentos. Principalmente se comparado a países europeus, já que por lá se fala da migração completa para fontes de energias renováveis até 2020.

Enquanto que no Brasil ainda há muitos priorizando as térmicas na matriz elétrica. E um dos imensos atrativos da fonte solar é a possibilidade de todos gerarem energia elétrica.

A Suntech chegou em Fortaleza para trazer mais economia e vantagens aos consumidores da região. A dúvida sobre o investimento médio necessário para ter energia solar fotovoltaica varia de acordo com o seu consumo.

Então, não perca mais tempo, clique em Solicitar Orçamento, envie seus dados, que no mais breve tempo, você irá receber um telefonema da equipe de atendimento Suntech Energia Solar.

Aproveite esta chance e confira o quanto a energia solar é capaz de transformar a sua vida. E o Brasil tem uma enorme capacidade de aproveitamento da energia solar!

Referência: G1